Decisores e peritos estão em Lusaka, capital da Zâmbia, para uma reunião de três dias do Departamento África Austral da Comissão Económica das Nações Unidas para África (CEA) com vista a passar em revista os progressos feitos para a criação duma zona de livre comércio e uma União Aduaneira na sub-região.

O encontro vai avaliar o nível de preparação dos Estados da África Austral para formar a zona e analisar as oportunidades e os desafios com vista à sua realização e da União Aduaneira.

A reunião, cujo tema é "Realizar uma Zona de Livre Comércio e uma União Aduaneira, os Desafios Emergentes e as Oportunidades para a África Austral", insere-se no quadro do comité anual intergovernamental dos peritos da CEA.

As autoridades presentes neste encontro apressaram-se a dissipar os receios exprimidos a respeito da dupla adesão à Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) e ao Mercado Comum da &

Aacute;frica Austral e Oriental (COMESA), que poderia afectar a zona de libre comércio.

A SADC e o COMESA instauraram equipas para gerir a questão da dupla adesão e os responsáveis governamentais e peritos vindos dos dois blocos económicos deverão reunir-se em Outubro deste ano para encontrar as vias e os meios para harmonizar os regimes comerciais.

O secretário permanente do Ministério do Comércio e Indústria da Zâmbia, Davidson Chilipamushi, que apoia a dupla adesão à SADC e ao COMESA, notou que os dois blocos oferecem oportunidades comerciais, acrescentando que o objectivo é encontrar as vias e os meios para realizar a integração regional.

No quadro do calendário de execução da integração regional da SADC, a conclusão das negociações para a criação duma União Aduaneira foi fixada para 2010, as discusões para um mercado comum deverão terminar em 2015, a criação duma União Monetária foi marcada para 2016 e a instauração dum Banco Central Regional com uma moeda comum para 2018.
Pana